AGE e manifestação conjunta da Segurança Pública em Minas

9 de agosto de 2017

O Sindpol/MG realizou Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da categoria, na tarde de hoje (9/8), na Praça da Liberdade, para cobrar e reivindicar os direitos da classe, junto aos Governos Federal e Estadual. Em seguida, seguiram para a Praça Sete, onde se juntaram à PM, Agentes do Sistema Prisional e a o Movimento das Esposas de Policiais, para a manifestação conjunta da Segurança Pública. Ao todo participaram cerca de 500 operadores de Segurança Pública.

Durante a AGE os sindicalistas falaram da apreensão acerca do acórdão do TCE, que tenta acabar com a paridade e a integralidade da Polícia Civil; a falta de comprometimento do Governo do Estado com a Corporação; parcelamento de salário; Reforma da Previdência; convocação de excedentes, para a recomposição dos quadros de efetivo da Polícia Civil e a equiparação salarial de investigador com perito criminal.

O presidente do Sindpol/MG Denilson Martins falou da importância da categoria se manter mobilizada e lutando, juntamente com o sindicato, contra os desmontes que os Governos Federal e Estadual tentam fazer com os policiais, a exemplo da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que proíbe a Polícia Civil de fazer greve, direito previsto na Constituição, mas que agora, foi retirado dos policiais.

Após a AGE, os policiais civis saíram da Praça da Liberdade e caminharam até a Praça Sete, onde encontraram com os demais operadores de Segurança Pública (PM’s e agentes do Sistema Prisional) para a manifestação conjunta, que busca melhorias para o exercício da profissão, pagamento em dia – já que o Estado está pagando parcelado – e o cumprimento das promessas de campanha do governador Fernando Pimentel para a Segurança Pública do Estado.

Os manifestantes queimaram caixão na Praça Sete e pediram que a população se una a esses movimentos, que lutam contra a corrupção do país, motivo de muitas mazelas no Brasil.

“Esse é o primeiro de vários atos que serão realizados ainda em 2017, acabou a paciência da Polícia Civil com os Governos Federal e Estadual, já não tínhamos há muito tempo. Nós já estamos cheios de reuniões inconclusivas e de promessas que não se cumprem. Nós temos prazos, filiados e serviços para prestar à população, por isso não vamos aceitar o sucateamento da Corporação. Não vamos permitir que em Minas Gerais chegue a acontecer o que vem acontecendo no Rio de Janeiro, onde os servidores públicos estão fazendo vaquinha para a compra de cesta básica. Estamos determinados em unir com a PM, agentes do Sistema Prisional e guardas municipais, para defender os operadores de Segurança Pública e a população. Vamos continuar batalhando para exercermos com dignidade o melhor trabalho para a sociedade, livrando-os do crime e do criminoso”, afirmou o presidente do Sindpol/MG Denilson Martins.

Durante a AGE foi deliberado pelo Estado de Alerta, por isso o Sindpol/MG pede que os policiais civis se mantenham mobilizados e atentos para novas convocações, porque sem luta, não há vitória.

Veja a cobertura da imprensa:

Globo

BHZ

O Tempo