Sindpol/MG recebe suplente de senador para discutir sobre a Segurança Pública e construir uma pauta mínima do sindicato

3 de Maio de 2018

A direção do Sindpol/MG teve a grata satisfação em receber a visita do policial civil e suplente do senador Antônio Anastasia, Alexandre Silveira, na manhã dessa quinta-feira (03/05). O objetivo da reunião é reconstruir uma nova relação com a entidade sindical, a discussão da conjuntura do cenário da Segurança Pública no Estado, o desafio no funcionalismo, e a construção de uma agenda e pauta mínima do sindicato em nome da categoria policial.

Os dirigentes sindicais agradeceram a iniciativa do eminente político e membro da nossa classe, pontuando que ao longo da trajetória dessa gestão sindical muito se conquistou, faltando, porém, coroar de êxito políticas públicas fundamentais, cuja a tratativa iniciou no governo passado e que precisamos de respostas positivas nesse sentido.

Foi pontuado também, que a despeito do cenário de crise, nesse atual governo, pouco se avançou e, por isso, a cobrança da categoria é justa, compreensível e, por tanto, precisa de respostas.

Dr. Alexandre esclareceu que reconhece a legitimidade e a luta do Sindpol/MG há muito tempo e que mantém laços de respeito e amizade com vários membros da atual direção, assim como também nutre respeito as outras entidades, mas que em todas as fases de negociações com o Governo passado acompanhou de perto a batalha do Sindpol/MG, e por isso, está reservando esse momento para a oitiva das demandas que serão levadas ao grupo político, que tem como dirigente, referência e liderança, o senador Antônio Anastasia, do qual o mesmo é suplente e exercerá importante tarefa neste pleito.

O diretor administrativo José Maria “Cachimbinho” disse que é importante nesse momento de pré-campanha todos os pré-candidatos ouvirem, receberem as demandas e reivindicações da categoria, mas que no caso do Dr. Alexandre Silveira, que é da classe e conhece profundamente o processo de valorização capitaneado pelo Sindpol/MG, tem sempre um destaque especial. O inspetor pontuou que no atual Governo tiveram pouco espaço, e que é preciso avançar, sob pena da Polícia Civil entrar em colapso, face o estado de sucateamento e escassez de efetivo. O sindicalista acrescentou que no atual governo só conseguiram a reposição de parte do efetivo de investigador, o que ainda é pouco, face a grande demanda da sociedade por Segurança Pública, mormente de repressão qualificada através de investigação criminal, apuração de delitos e função exclusiva da Polícia Civil.

Os dirigentes sindicais se comprometeram em concluir a elaboração dessa pauta mínima fundamentada e encaminhar para a coordenação capitaneada pelo Dr. Alexandre.