Caderno disciplinar e código de ética

Caderno disciplinar e código de ética: Direção do Sindpol/MG reúne mais uma vez com corregedor geral e cobra providências e encaminhamentos

Na tarde da última terça-feira (08/09) o presidente Denilson Martins, aproveitando o ensejo de mais uma oitiva como testemunha em sindicâncias e processos de colegas, se reuniu com o corregedor geral da Polícia e pediu ao mesmo providências e encaminhamentos no tocante ao envio e tramitação do projeto que institui o novo código de ética da PCMG, com as alterações necessárias para melhor adequá-lo à nova realidade republicana e democrática de nosso país com os direitos, garantias e princípios fundamentais da pessoa humana.

Denilson Martins ressaltou ao corregedor a necessidade de termos um instrumento avançado alçando a nossa Instituição a um patamar mais destacado de valorização, do ponto de vista ético e Institucional, isso começa com os princípios éticos, que devem ser tipificados e definidos na relação institucional que se estabelece entre o operador e a organização que representa. Tratarmos esse corolário de princípios e regras como mero caderno disciplinar é empobrecer o debate de valorização institucional e profissionalização da categoria policial regida além dos princípios da hierarquia e da disciplina, da administração pública e da ética policial, sendo esses últimos tão importantes e fundamentais quanto os primeiros.

O presidente exemplificou o caso de organizações valorizadas e desenvolvidas na sociedade civil organizada, como a categoria médica, os arquitetos, jornalistas, os advogados, a magistratura, a PMMG, Ministério Público, dentre outros. Todos tem o seu código de ética que orientam os princípios de sua atuação profissional e a relação estabelecida com a Instituição que representa. Nossa categoria policial também precisa ingressar nessa vanguarda.