Caso Lucas: Sindpol/MG requer providências e apuração rigorosa da morte e das denúncias formalizadas pelo investigador

28 de Março de 2016

Na manhã dessa segunda-feira (28/03), após reunião, a diretoria executiva do Sindpol/MG deliberou pelo requerimento de prosseguimento das investigações em torno da morte do investigador de polícia Lucas Gomes Arcanjo, morto no último sábado (26/03), em circunstância suspeitas, uma vez que “em sendo o exímio conhecedor e usuário de redes sociais, deixou sequer mensagens alusivas de autoextermínio.” O investigador também formalizou uma série de denúncias contra autoridades, em razão disso vinha sofrendo ameaças de morte e retaliações.

Esse mesmo investigador, inclusive já tinha sido vítima de três atentados graves contra a sua vida.

Na deliberação da direção do sindicato foram oficiadas as seguintes autoridades:

* Ouvidoria Geral de Polícia;

*Chefia da Polícia Civil de Minas Gerais;

*Corregedoria Geral da Polícia Civil;

*Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais;

* Presidente da ALMG;

*Procurador Geral da República;

* Ministro da Justiça.

Junto com os respectivos ofícios a direção também enviou uma mídia de vídeo contendo algumas das denúncias veiculadas pelo investigador, as quais até o presente momento, sem a necessária e devida resposta e/ou processamento.

Veja os ofícios e vídeos encaminhados.

Ministro da Justiça

Ofício – Procurador Geral da República