Concurso investigador

Concurso investigador: Sindpol/MG recebe representante dos aprovados no último certame

O presidente Denilson Martins, o diretor jurídico Geraldo Chaves e o diretor de mobilização e formação sindical Wellington Kallil, receberam na sede do Sindpol/MG, na última sexta-feira (27/11) o sr. Gustavo, representante dos aprovados no concurso de investigadores.

Durante a reunião o presidente Denilson Martins falou a respeito da luta do Sindpol/MG na recomposição dos quadros da PCMG e a resposta da Seplag em relação ao ofício enviado solicitando um cronograma de convocação dos aprovados para o Curso de Formação Policial (clique e veja o ofício e a resposta do ofício).

De acordo com o secretário Helvécio Magalhães, as nomeações para o cargo de investigador estão previstas da seguinte maneira:

– 580 investigadores em janeiro de 2016
– 500 investigadores em julho de 2016

O Sindpol/MG continuará lutando pela recomposição dos quadros da PCMG.

Concurso investigador: Secretário da Seplag responde ofício do Sindpol/MG

O secretário de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) Helvécio Magalhães, respondeu o ofício do Sindpol/MG, encaminhado na última quinta-feira (12/11), que solicita informações acerca do curso de Formação Policial de investigadores aprovados no último concurso.

De acordo com o secretário Helvécio Magalhães, as nomeações para o cargo de investigador estão previstas da seguinte maneira:

– 580 investigadores em janeiro de 2016
– 500 investigadores em julho de 2016

O Sindpol/MG continuará lutando pela recomposição dos quadros da PCMG.

Veja a resposta do ofício.

Concurso Investigador: Audiência pública discute convocações de aprovados

Na manhã e tarde dessa terça-feira (29/09) a direção do Sindpol/MG e o presidente Denilson Martins, participaram da Audiência Pública da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, que tinha por finalidade debater e discutir as razões da não convocação dos candidatos concursados ao cargo de investigador de polícia, bem como os respectivos excedentes classificados no mesmo certame. A reunião iniciou tensa em razão do atraso em função da apreciação de projeto de iniciativa do governo que tramitava no plenário da Casa, que teve prioridade da presença dos parlamentares. Outro ponto de tensão foi o inexplicável não comparecimento da representação Institucional do Poder Executivo e da Administração Superior da Polícia Civil, que foram devidamente convidados para contribuírem com as informações sobre o tema.

O presidente Denilson Martins, representando o sindicato da categoria, disse estar otimista com relação a convocação dos aprovados e classificados, pois ao contrário do governo passado, o atual ainda não fechou as portas do diálogo e da atenção, porém é necessário manter a mobilização coerente e estratégica na abordagem do tema para que a convocação de todos seja priorizada pelo Executivo na aplicação de seus investimentos que enfrenta sérios contingenciamento em razão de distorções e déficits deixados pelo governo passado.

O presidente destacou a necessidade do apoio e reconhecimento àqueles que tem liderado o movimento, que assim como os sindicalistas, são sempre mais cobrados, perseguidos e até assediados quando reivindicam e cobram demandas em defesa do coletivo, e que o acompanhamento sindical e institucional é sempre o caminho mais adequado e apropriado, assim como a participação da Casa Legislativa no avanço das negociações. Denilson lembrou os momentos difíceis que a direção do Sindpol/MG enfrentou no governo passado para aprovação desse e de outros concursos, e que sempre é mais difícil quando se trata dos escrivães e dos investigadores. Ele falou das estratégias que os governos sempre tem de judicializar o movimento, ameaçar com multas, e declaração de ilegalidade, mas que sempre o melhor remédio é a união, a organização, o espírito de corpo e fraternidade, e o trabalho coletivo, melhores ferramentas para pautar as agendas políticas e de governo. Denilson reforçou que as portas do sindicato estão abertas para acompanhar todas as negociações da classe de investigadores, mesmo porque é o Sindpol/MG o sindicato legítimo da categoria, e sempre se fará presente em todas essas demandas da classe.

Denilson disse que está confiante no avanço das negociações pela convocação dos aprovados e classificados, pelo que tem conversado com as demais instâncias do governo, e lamenta o desencontro de informações a respeito do assunto, “tem muita gente falando e pouca gente decidindo, mas que isso deve ser ajustado. A carência de efetivo de todos os cargos da Polícia Civil reflete diretamente da sensação de insegurança, impunidade e nos altos índices de violência e criminalidade que tanto aflige a população. Parabenizou a todos pela mobilização e agradeceu ao deputado pelo acolhimento da solicitação da categoria em agendar a referida audiência e lamentou a ausência da Administração Superior da Polícia, que poderia trazer importantes esclarecimentos sobre a matéria”, finalizou.

Participaram dessa importante Audiência Pública os diretores da região Norte do Sindpol/MG Enmerson Mota Rocha, Jairo Barbosa da Silva; os diretores da direção regional Zona da Mata, Dr. Marcelo Armstrong, Marcos Antônio de Britto, Ribamar Campos Barra e Alessandro Maximino; além do vice presidente Toninho “Pipoco”, do assessor Valter de Paula, do diretor administrativo José Maria de Paula “Cachimbinho”, do diretor de assuntos dos escrivães Wellington Kallil, e do presidente Denilson Martins.