Convocação! Grande manifestação contra descaso do Governo de Minas

10 de Maio de 2018

A direção do Sindpol/MG se reuniu hoje (10/05), em caráter extraordinário, com demais entidades de classe, para debaterem a entrevista do governador Fernando Pimentel, que informou através da imprensa, que irá atrasar a primeira parcela do pagamento dos servidores públicos.

As entidades de classe estão indignadas, pois o salário já está parcelado e o governo ainda informa, pela imprensa, que vai atrasar a parcela, sem informar uma nova data.

Os sindicalistas veem a atitude do governador como total falta de respeito, por esse motivo decidiram realizar uma grande manifestação amanhã, dia 11/05, às 10h, na portaria do Hospital do IPSEMG (HGIP). É importante a presença do maior número possível de servidores públicos.

Segundo o diretor administrativo do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”, os servidores públicos e os sindicatos não concordam em hipótese alguma com mais esse atraso, isso vai agravar ainda mais a situação creditícia dos servidores, e vem asseverar cada vez mais o tratamento diferenciado que esse Governo optou para tratar os servidores públicos. Como se já não bastasse, no dia 30/04 ele destinar R$ 24 milhões para os servidores da Fazenda, pertencentes ao Poder Executivo, assim como nós. De um total de R$ 80 milhões, o Governo já pagou 1/3 disso, agora vem tratar de forma diferenciada outra vez os demais servidores, porque a PM ficou de fora desse atraso, por fazerem a própria folha. O Governo deveria ter utilizado, há mais tempo, os seus órgãos para saber quem estava em acúmulo de função ilegal.

“Nós temos o CAP (Conselho de Administração de Pessoal) que faz esse filtro (sobre o acúmulo de funções), já deveria ter funcionado há muito tempo, sem contar que também temos a AGE (Advocacia Geral do Estado), que também faz esse filtro, por que só agora, mais de três anos, ele (governador) vem falar que descobriu que tem mais de 100 mil servidores com acumulo irregular? Pimentel não pode penalizar os servidores que estão regulares por causa daqueles que estão irregulares. Deixo claro que, em hipótese alguma, aceitamos os parcelamentos, atrasos de salário, que isso é uma demonstração de incompetência do Governo do Estado, que não soube priorizar as contas públicas, de modo a não deixar o servidor passar por esse constrangimento. Nós também não concordamos com a consignação em atraso, o que caracteriza apropriação indébita, há servidores com nome negativado no SPC e Serasa, por mais uma vez incompetência do Estado. Queremos chamar aqui para a responsabilidade o Banco do Brasil e as demais instituições financeiras, porque para selar convênio com o Governo do Estado eles não nos perguntaram, eles fizeram os convênios da forma que bem entenderam, compraram a folha de pagamento e não pediram a nossa anuência, e agora, os empréstimos que estão sendo pagos em dia, e o Governo não está repassando para eles esse desconto, a responsabilidade não é nossa. Por isso como sindicato não aceitamos que o servidor seja penalizado mais uma vez. Nesse manifesto de amanhã vamos ocupar as ruas, constranger o Governo, porque o responsável por tudo isso é o Governo do Estado, que é perdulário, incompetente e corrupto”, afirmou José Maria.