Crescimento e reação – Mais policiais buscam o Sindpol/MG para se filiarem

11 de outubro de 2016

Na manhã dessa terça-feira (11/10) o presidente do Sindpol/MG Denilson Martins, recebeu a visita do investigador Vitor Cardoso Dutra, da cidade de Paraisópolis, no Sul de Minas, o mesmo, que é investigador recém formado, apresentou a direção do sindicato as dificuldades encontradas na unidade, tanto de ordem administrativa, quanto organizacional, carência de efetivo, sobrecarga de trabalho, e necessidade de apoio Institucional, o mesmo disse que se interessou em ver as ações do sindicato em defesa dos servidores, mormente aqueles que passam dificuldades no interior pôde ouvir da direção do sindicato, os limites da atuações das chefias e o compromisso da estrita legalidade que toda as carreiras devem ter com a atitude de valorização e fortalecimento de toda a categoria policial. Conheceu também de perto as ações do sindicato na luta contra o assédio moral, os limites da atuação do sindicato, e ainda a cartilha do movimento nacional do “Cumpra-se a Lei” do qual o Sindpol/MG e a Cobrapol, são signatários.

O novo filiado se comprometeu em difundir com seus demais colegas da região a importância do ato de se sindicalizar, como estratégia de fortalecimento e de garantia de apoio para o fiel desempenho da sua função policial, mormente no interior do estado, onde o sucateamento a arbitrariedade e a precarização, no ambiente das condições de trabalho, grassam sob todas as formas.

O presidente Denilson Martins e toda a direção presente, também se comprometeu em contatar imediatamente com o novo chefe do departamento de Pouso Alegre, bem como com a Administração Superior da PCMG, no sentido de que seja provido da melhor forma possível os recursos necessários para a região, principalmente recursos humanos, o que no começo do próximo mês, estarão formando pelo menos mais 150 investigadores a serem designados. Outra demanda também apresentada pelo novo filiado, foi a carência de novas viaturas caracterizadas com combos de preso, apropriadas para a escolta e movimentação provisória de conduzidos, no sentido de oferecer maior segurança ao policial, que sem esse recurso, fica mais exposto e comprometido.