Dia Internacional da Mulher

8 de Março de 2016

Momento para refletir e buscarmos forças para continuarmos a luta por igualdade de direitos

Mais um 8 de março e a sociedade brasileira ainda resiste a reconhecer a necessidade de termos um olhar mais atento a questão de gênero em nosso país, um dos mais violentos, injustos, com práticas e posturas obscuras, incutidas na estrutura social, para garantir a negação de direitos a mais importante e honrosa parcela da sociedade, as Mulheres.

Apesar de todos os avanços e conquistas do gênero depois do século XX, com direito ao Sufrágio Universal, a educação e a emancipação profissional, ainda há muitas chagas a serem curadas, cicatrizadas, que precisam ser expurgadas do nosso cotidiano. A Lei Maria da Penha, em vigor há quase 10 anos, só conseguiu reduzir 10 %das ocorrências de agressões e atentados ao gênero. De acordo com a ONU, um terço das mulheres no mundo já sofreram violência física ou sexual, cerca de 120 milhões de meninas já sofreram relação sexual forçada e 133 milhões de mulheres sofreram mutilação genital.
No Brasil, somente no primeiro semestre de 2015, 179 mulheres registraram, por dia, ocorrências de vitimização, totalizando 32 mil denúncias no disque 180.

As desigualdades com as mulheres não param por aqui, a representação política do gênero feminino é de apenas 8,6% dos representantes nos parlamentos do Brasil, apesar da exigência de cota mínima nas chapa partidárias. Mesmo sendo a maioria do eleitorado brasileiro, demorou 120 anos para se eleger a primeira representante no Executivo.

No mesmo estudo da ONU também se diagnosticou que a taxa de desemprego das mulheres no mundo é o dobro da taxa dos homens, e o salário para as mesmas funções é 24% menor que a dos homens. Esses números não devem servir de desestímulo, e sim motivar e impulsionar ainda mais a sociedade para ações e lutas por igualdade de direitos, oportunidades, justiça, pluralidade e liberdade de expressão para todas.

E que um dia possamos desejar Feliz Dia da Mulher, não apenas no dia 8 de março, mas todos os dias.

Denilson Martins
Presidente do Sindpol/MG