Falta de condições de trabalho

Falta de condições de trabalho

Sindpol/MG realiza inspeção sindical em Mário Campos, Brumadinho e 3º DP do Barreiro

Na manhã dessa terça-feira (22/12), a direção do Sindpol/MG, capitaneada pelo presidente Denilson Martins, conforme planejamento, realizaram inspeção sindical nas unidades de Mário Campos, Brumadinho e 3º DP do Barreiro.

Em Mário Campos encontramos apenas um investigador lotado naquela unidade, o qual desde 2003 desempenha todas as funções típicas de autoridade policial – investigador, escrivão e servidor administrativo – sobrecarregando tarefas que comprometem não só a sua saúde física e psíquica, como também impacta na prestação de serviço de polícia a sociedade, esse único servidor atende toda a demanda carreada pela PM local, tendo como auxiliares apenas um outro servidor policial emprestado a título de revezamento da delegacia de Sarzedo, e mais três servidores municipais cedidos pela prefeitura que auxiliam nas atividades de identificação, com expedição de carteira de identidade, Detran (vistoria e licenciamento), e atendimento administrativo ao público. Nessa unidade ainda encontramos instalações improvisadas, inadequadas e impróprias ao serviço policial, sem acessibilidade, sem projeto de prevenção e combate ao incêndio (nem extintores), dentre outras inadequações que carecem de imediatas reformas.

Quadro semelhante também foi encontrado em Brumadinho, baixíssimo efetivo, instalações improvisadas, sem a padronização necessária, o que também compromete a qualidade do ambiente de trabalho e a prestação de serviço de Segurança Pública à sociedade.

Na 3º Delegacia do Barreiro encontramos também as limitações de efetivo de apenas uma equipe incompleta para a investigação, com a demanda extremamente intensificada, porém a despeito das precárias condições de trabalho e de efetivo, todas as metas estabelecidas estão sendo cumpridas, encontramos no local instalações bastante acanhadas com espaço diminuto na área externa, com limitação inclusive de estacionamento, em razão da referida unidade estar a margem de uma rodovia de tráfego intenso, e em uma área essencialmente comercial, placas de identificação diminutas o que dificulta a localização da unidade, ainda sobre essa delegacia existe um projeto de construção de um novo prédio, cujo terreno já fora doado pela PBH, e as obras iniciadas, porém foram interrompidas em função da troca de Governo em dezembro de 2014, obras essas que precisam ser retomadas, sob pena de depreciação e perda do que já fora investido. A região é de alto índice de criminalidade, com forte demanda para atendimento à população, e a transferência para um novo prédio seria providencial para esse fim.

A direção do Sindpol/MG munida dessas informações se comprometeu a encaminhar e formalizar, todas essas reivindicações de readequações e reformas estruturais e recomposição de efetivo até a Administração Superior da Polícia e ao Governo do Estado, para que em tempo hábil tais situações sejam equacionadas.

O presidente Denilson Martins, refletiu com a diretoria, considerando a mudança na gestão superior da PCMG, estará reencaminhando todos os diagnósticos das inspeções sindicais mais recente, para fim de que as mesmas componham o diagnóstico de gestão estratégica que está sendo elaborado pela nova chefia, a título de contribuir com essas informações valiosas do ponto de vista de gestão.