Mobilização do dia 9 de agosto – Diretoria do Sindpol/MG se reúne com policiais do Deoesp

8 de agosto de 2017

A direção do Sindpol/MG se reuniu, nessa terça-feira (8/8), com policiais civis do Deoesp, onde prestaram esclarecimentos e informações importantes sobre as ações que o Sindpol/MG tem realizado, acerca da defesa da paridade e integralidade, junto ao TCE/MG, a luta nacional contra a Reforma da Previdência, conjuntura do movimento sindical unificado, agenda estadual, grupo de trabalho pela equiparação de investigadores com peritos, pontualidade do pagamento, convocação de excedentes de concurso público, 13º salário, promoções e pagamentos de benefícios atrasados.

O presidente Denilson Martins reforçou a todos a necessidade de se fazerem presentes em todos os atos convocados pela direção sindical, pois a despeito do novo cenário de proibições de greves, é preciso muita articulação política, tensionamentos e ações estratégicas, além de muita criatividade para pressionar o Governo e as autoridades a atenderem as reivindicações. O presidente também disse que há muitas cobranças da base da Polícia Civil, todas muito justas, mas as vezes mal direcionadas, uma vez que a obrigação primordial do Sindpol/MG, assim como de todo sindicato, é atender com qualidade, em primeiro lugar os filiados, porém nem todos os policiais civis são filiados. “Houve um tempo em que o Sindpol/MG era o único sindicato da Polícia Civil, tínhamos mais forças, autonomia, financiamento e legitimidade postulatória para falar por todos. Ocorre que de 2011 até a presente data, outros três sindicatos foram criados, e pelo menos mais três associações, hoje temos registrados, cinco sindicatos e o mesmo número de associações na base da Polícia Civil, 10 entidades que muitas vezes operam em direções opostas, quando dos debates importantes para o conjunto da categoria, e o Sindpol/MG tem feito sempre o exercício de buscar a convergência, por mais difíceis que elas sejam, é assim que estamos fazendo no caso do TCE, da PEC 287 e demais assuntos. É preciso que os policiais também cobrem dos dirigentes sindicais, das entidades as quais estão filiados, que haja esta convergência”, afirmou.

De acordo com o presidente do Sindpol/MG Denilson Martins, é necessário que a atual chefia de polícia, que é órgão de governo, também busque essa convergência, para que possam ter melhores resultados nas demandas onde estão em jogo os interesses da categoria como um todo. Acrescentou que não obstante a histórica fragmentação por qual padece a PCMG, o momento é de união para resistir as turbulências políticas de Brasília e do Governo do Estado de Minas Gerais, pois é real a agenda negativa que a Polícia Civil e o conjunto do funcionalismo público está atravessando, “a todo momento os governos tentam nos pintar como vilões e jogar no nosso colo o cadáver do desgoverno, da incompetência e da corrupção na gestão pública, e é exatamente nessa hora que temos que mostrar nosso poder de articulação”, ponderou Denilson.

Após ouvir todas as manifestações dos colegas, o presidente Denilson Martins, o diretor administrativo e inspetor José Maria de Paula “Cachimbinho”; e diretor de assuntos do interior e inspetor Mário dos Santos, conclamaram a todos a se fazerem presentes no ato de amanhã, dia 9, na Praça da Liberdade às 13h.