Polícia Civil decreta greve geral na AGE da categoria

15 de junho de 2016

O Sindpol/MG realizou, nessa quarta-feira (15/06), a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da categoria, que contou com a presença do Sindepominas (Sindicato dos Delegados de Minas Gerais), para discutirem acerca da falta de atendimento do Governo do Estado às demandas da Polícia Civil. Durante a AGE os policiais civis deliberaram pela greve geral, por tempo indeterminado, iniciando no horário de expediente das repartições da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, a partir do dia 20/06, segunda-feira, uma vez que a lei exige que a Chefia de Polícia seja notificada com antecedência de 72 horas da realização da greve.

Os diretores do Sindpol/MG da capital e interior falaram aos presentes de toda a negociação que o sindicato realizou, amigavelmente, com o Governo durante esses 1 ano e 5 meses da gestão do governador Fernando Pimentel, na questão da isonomia remuneratória de escrivães e investigadores com peritos criminais e médicos legistas; e de delegados com defensores públicos; a reestruturação da matriz remuneratória dos administrativos, ou seja, reestruturação geral dos cargos e carreiras da Polícia Civil; a recomposição dos quadros de efetivo da Instituição, com a convocação dos excedentes dos concursos que estão dentro do prazo de validade e a abertura de novos concursos.

O presidente interino do Sindpol/MG Antônio Marcos Pereira (“Toninho Pipoco”), disse, no início da AGE, que a decisão na realização da greve estava nas mãos da categoria, que seria votado e acatado o que a maioria decidisse.

Com a palavra, Denilson Martins,  na condição de filiado do Sindpol/MG e liderança ativa da Polícia Civil, disse que o sindicato havia esgotado todas as negociações com o Governo, que esperaram a publicação, no Diário Oficial, do grupo de trabalho, que participará de todo o processo, juntamente com o corpo técnico da Seplag, na elaboração e projeto de lei de reestruturação da Polícia Civil e o encaminhamento à Assembleia Legislativa desse projeto de isonomia remuneratória de escrivães e investigadores com médicos legistas e peritos criminais, bem como de delegado com defensor público, mas infelizmente o Governo não cumpriu com o prometido e essa publicação ainda não saiu. A categoria não acredita mais na credibilidade do Governo em cumprir seus compromissos, dado os últimos acontecimentos em dispensar tratamento diferenciado para com a Polícia Militar, em detrimento da Polícia Civil.

O excedente do concurso de investigador, edital 2014, Francisco Roque, disse que há mais de 1400 aprovados em todas as fases do certame aguardando a nomeação, e que esperam que o Governo reestruture a PCMG, convocando os excedentes.

O Sindpol/MG, na manhã dessa quinta-feira (16/06), notificará as autoridades a respeito da deliberação de greve, em cumprimento a todos os tramites que reza a lei.

Primeira reunião do comando de greve

Nessa sexta-feira (17/06), às 14h, na sede própria do Sindpol/MG, o comando de greve se reunirá para traçar as estratégias e difundir as diretrizes, bem como cartilhas de procedimento do movimento paredista, e também para realizar entrevista coletiva com a imprensa, no sentido de comunicar a sociedade as razões e motivações da greve.

Veja vídeo e fotos da AGE.