Policiais civis de todo o Brasil se organizam contra o PLC 257/16, que quer retirar conquistas e direitos dos servidores públicos de todo o país

11 de Abril de 2016

Durante toda a semana passada policiais civis e dirigentes sindicais de todo o país se mobilizaram, sob comando da Cobrapol e sindicatos afiliados, fazendo um corpo a corpo no Congresso Nacional, cobrando das bancadas de seus respectivos Estados o voto e posicionamentos contrários ao PLC 257/16, inspirado pelos governadores dos Estados e acolhidos pelo Governo Federal, que dentre outros absurdos, prevê a injeção de vultuosas quantias de dinheiro nos Governos dos Estados, porém, condiciona as medidas impopulares, prejudiciais ao conjunto do funcionalismo. Dentre essas medidas estão previstas: retirada de direitos, como promoções, progressões e gratificações, adiar concursos, aumentar a contribuição previdenciária e congelar salários, dentre outros.

A COBRABOL e os sindicatos afiliados convocam a toda categoria representada para mobilização e paralisação no próximo dia 13/04, a partir das 9h, como uma ação afirmativa e gesto concreto de repúdio a essa manobra do Governo Federal em conjunto com os Governos Estaduais, e caso não retirem de pauta esse famigerado projeto, não está afastada a possibilidade de paralisação geral das policias civis e de todo o funcionalismo público na União, nos Estados e nos Municípios.

Na última sexta-feira (08/04), a Cobrapol e os representantes de suas entidades, estiveram mais uma vez reunidos em Brasília, para organização e mobilização deste importante protesto e demais medidas estratégicas nesse sentido. A delegação de Minas Gerais, representada pelo presidente do Sindpol/MG, Antônio Marcos Pereira (Toninho “Pipoco”), diretor executivo de mobilização e formação sindical, Wellington Kallil e o filiado Denilson Martins, compareceram e deliberaram em conjunto.