Reforma da Previdência – Sindpol/MG e demais entidades de classe se reúnem com Administração Superior da PCMG

1 de fevereiro de 2017

O Sindpol/MG se reuniu ontem (31/1), juntamente com demais entidades de classe da Polícia Civil, com o chefe adjunto da PC, Dr. Raimundo Nonato, para discutirem acerca da luta contra a PEC 287/16 (Reforma da Previdência) e valorização da carreira dos policiais civis.

O diretor administrativo do Sindpol/MG José Maria de Paula “Cachimbinho”, explicou todas as ações que o Sindpol/MG tem realizado desde quando o Governo começou a falar sobre Reforma da Previdência, e reforçou a importância de toda a Polícia Civil se unir contra esse pacote de maldades por trás dessa “Reforma”. “A intenção do Governo é acabar com a aposentadoria de todos, inclusive dos policiais, que possuem regime diferenciado”, afirmou.

O chefe adjunto concordou com as ponderações do inspetor e diretor do Sindpol/MG José Maria, e disse que levaria ao conhecimento do Chefe de Polícia, Dr. João Otacílio, todas as movimentações dos sindicatos em relação a PEC 287/16, e concordou que precisa existir essa união para que consigam barrar essa Emenda à Constituição. Dr. Raimundo Nonato informou as entidades de classe que Dr. João Otacílio se reunirá em Brasília, no mês de fevereiro, com o Conselho Nacional de Chefes de Polícia, para discutir o texto da Reforma da Previdência, que acaba com o regime especial de aposentadoria dos policiais.

Segundo o presidente da Aespol, escrivão Wellington Kalil, nesse momento é crucial o apoio da Chefia de Polícia na movimentação dos sindicatos. “Infelizmente o que vemos é muito chefe impedindo a base de participar do movimento. Precisamos da união de toda a Polícia, incluindo a Administração Superior da PC, para mostrarmos a nossa força contra a PEC 287/16”.

Os diretores do Sindpol/MG informaram aos presentes que estarão em Brasília, juntamente com mais 40 filiados, nos dias 7 e 8 de fevereiro, em um ato contra a “Reforma” da Previdência. “Policiais civis de todo o Brasil estarão em Brasília nesses dois dias de fevereiro, foi uma convocação da Cobrapol”, disse José Maria. O diretor lamentou que na hora de cobrar é todo mundo, inclusive quem nem é filiado a entidade, mas para participar são sempre os mesmos. Em uma convocação, que deveria ter centenas de participantes na caravana para pressionar o Governo Federal, uma vez que o interesse é de todos nós, apenas os mesmos, poucos, é que se dispõem. Não obstante, o fato de que nessas horas, o importante, é claro, a qualidade e não a quantidade.

Ficou acordado que as entidades de classe vão se encontrar em Brasília para conversar com parlamentares afim da retirada da Polícia Civil da PEC 287 e mudanças no texto dessa Reforma, porque a mesma também atinge pensionistas e demais setores do serviço público, tão castigado e explorado por Governantes, e que não tem os mesmos benefícios que os trabalhadores da iniciativa privada, como Fundo de Garantia, seguro desemprego, dentre outros.

No segundo momento da reunião, Dr. Raimundo Nonato e as entidades de classe, apresentaram pontos em prol de melhorias e valorização da carreira da Polícia Civil.