Sindpol/MG cobra respostas de compromissos feitos pelo Governo à PCMG

20 de março de 2018

O presidente do Sindpol/MG, Denilson Martins se reuniu hoje (20/03), com o Chefe da Polícia Civil, Dr. João Otaccílio, com o objetivo de que o delegado interceda, junto ao Governo, as pautas da categoria – considerando as dificuldades que o sindicato tem encontrado para conversar com o secretário de Governo, Odair Cunha e com o governador, Fernando Pimentel, que são as duas autoridades específicas para a tratativa da temática da Corporação.

O dirigente sindical solicitou ao Dr. João Otaccílio que leve ao governador a necessidade de se repactuar, ainda nesse fim de gestão, as promessas feitas, como a “equiparação” entre os cargos de nível superior, a convocação dos demais excedentes de investigador – sendo que Pimentel prometeu que convocaria três mil novos investigadores em seus quatro anos de mandato, até o momento convocou 1556. Denilson pediu também a especial atenção e celeridade na solução dos aprovados no certame de 2008, os barrados no limite de idade, pendência essa que carece de detalhes para a conclusão dos 28 restantes daquele concurso, uma luta que já dura 10 anos, com várias vitórias, porém ainda persiste esse imbróglio.

O chefe de polícia se comprometeu em encaminhar essas demandas ao Governo, à Advocacia Geral do Estado (AGE) e internamente, no tocante a última solicitação, ele despachará com a direção da Acadepol.

De acordo com o Dr. João Otaccílio, o Governo tem se mostrado sensível às demandas da Polícia Civil, mas é necessário uma definição sob essas justas demandas que representará muito para a Segurança Pública e valorização dos policiais civis. Ele se comprometeu em trazer o retorno do governador acerca dessas matérias, e reforçou a importância da manutenção do diálogo entre o sindicato, chefia e instâncias do Governo, para a busca de mais conquistas para a Corporação.

Denilson Martins disse que estará aguardando a resposta da chefia, mas destacou a necessária observância ao calendário eleitoral, face o pleito de 2018, uma vez que as medidas têm reflexo direto no orçamento. Quanto ao diálogo, o dirigente sindical destacou que sempre que o sindicato reivindica algo, busca esgotar a via do diálogo, porém nem sempre o Governo se mostra aberto para tal, necessitando de ações mais pontuais e radicais da parte do sindicato, mas que alguns setores se percebe essa abertura, mas em outros, como por exemplo, a Secretaria de Governo, já se fazem 3 anos e 3 meses e nunca recebeu o Sindpol/MG, nem tampouco o governador Pimentel, um comportamento diametralmente contrário daquele todo acessível demonstrado no período de campanha.  Promessas e acordos até o momento não foram cumpridos, greves foram judicializadas, a categoria insatisfeita, eleições se aproximam. “Na nossa visão ainda há tempo de se cumprir alguma coisa que agrade e valorize a categoria, a começar pela pontualidade no pagamento dos salários”, pontuou o sindicalista.

O presidente do Sindpol/MG agradeceu ao chefe de polícia pela gentileza de costume e se colocou no aguardo de uma próxima reunião para debate desses assuntos e de outros de interesses da categoria.