Sindpol/MG despacha pauta de reivindicação com Secretário de Estado Governo

16 de Abril de 2018

A direção do Sindpol/MG e membros da comissão de examinadores, participaram de importante reunião, nessa segunda-feira (16/04), com o novo Secretário de Governo, Francisco Eduardo Moreira, que assumiu a pasta no lugar de Odair Cunha.

O diretor administrativo do Sindpol/MG, inspetor José Maria de Paula “Cachimbinho”, apresentou ao secretário a atualização da pauta sindical, que inclusive já havia sido apresentada ao Governo em 2015 e 2016, e recentemente ao Chefe de Polícia, Dr. João Octacílio, porém, até o presente momento, sem a necessária resposta do governador Pimentel, o que tem motivado a insatisfação, tensão e muito descontentamento da base da categoria.

Os dirigentes sindicais, juntamente com ex-secretário Dr. Rômulo Ferraz, responsável pela intermediação da reunião, ponderaram, com o secretário de governo, a demora nos pleitos solicitados, e que, em muitos casos, o impacto é mínimo, e poderia ser absorvido pela gestão, se tivesse maior celeridade nas respostas, e mesmo que, sendo modulado em curto, médio e longo prazo, mas precisam ser atendidos. Foi destacado ao mesmo, de forma clara, o relevante alcance social de cada uma das medidas ali solicitada. Foi esclarecido que a maior parte das demandas, haviam sido apresentadas ao governador, ainda em sua campanha eleitoral, em 2014, e que o mesmo havia se comprometido em buscar atender.

O representante da Polícia Civil, Dr. Bruno Tasca, afirmou que a Instituição tem o pleno conhecimento dessa justa pauta de reivindicação, e não tem objeção quanto ao atendimento da mesma.

O Secretário de Governo acolheu as reivindicações, e fez as suas considerações acerca da possibilidade do atendimento, se comprometeu em leva-las em reunião com o governador e com a equipe de outras pastas, e na maior brevidade possível dará a resposta. No entanto, no tocante a reposição das perdas salariais para a Polícia Civil, vê dificuldades, face as limitações da legislação eleitoral, porém há a possibilidade jurídica somente para reajuste geral, para todo o conjunto do funcionalismo, mas é preciso a observância da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Quanto a equiparação, reposição de efetivo, com a convocação de excedentes, e derrubada do veto do projeto 3284/16, viu com simpatia e possibilidade de atendimento a curto e médio prazo, e nesse sentido dará resposta ao sindicato. Disse que no tocante ao veto, isso será observado o mais rápido possível, uma vez que as negociações sobre essa matéria já estão em estágio avançado, junto ao Governo e Poder Legislativo.

Veja ofício.