Sindpol/MG na luta contra práticas antissidicais e perseguições políticas

Sindpol/MG na luta contra práticas antissidicais e perseguições políticas

Direção do Sindpol/MG entra na luta em defesa do investigador filiado Lucas Arcanjo

Na tarde dessa terça-feira (15/12) o presidente do Sindpol/MG Denilson Martins, o vice Toninho Pipoco, o diretor jurídico Geraldo Chaves, o secretário geral Cláudio Pereira e o corpo técnico jurídico do Sindpol/MG, receberam na sede própria o filiado Lucas Arcanjo, investigador de polícia afastado de suas funções por questão de saúde, que se encontra mais uma vez vitimado por perseguições políticas por denunciar irregularidades na gestão passada do Detran e do Governo do Estado. O mesmo fora denunciado pelo atual presidente nacional do PSDB e ex-candidato a presidente da República, senador Aécio Neves, por calúnia, difamação e outros possíveis delitos.

O presidente Denilson Martins informou ao filiado para que o mesmo se mantenha tranquilo, pois devemos acreditar na justiça, no estado democrático de direito e nas premissas constitucionais do contraditório, do devido processo legal e da ampla defesa, e a direção do Sindpol/MG na luz do princípio da liberdade sindical sacralizado no artigo 8º da Constituição, patrocinará através de todos os meios de provas a defesa de nosso filiado, que não pode ser mais vitimado pelo assédio moral e pela perseguição política, que já há muito tempo grassam açodadamente na Administração Pública Estadual, principalmente nos 12 anos de gestão tucana em nosso Estado. A direção do sindicato entende que o direito de crítica e liberdade de expressão, bem como o dever de denúncia e de irregularidades e desvio de finalidade no Poder Público, é inerente a condição de servidor público, que todo policial é, não podendo por tanto ser censurado ou penalizado, e por isso vamos até as últimas instâncias no Poder Judiciário, e se preciso até a Câmara Interamericana de Direitos Humanos, uma vez que o Brasil é signatário dos tratados internacionais nesse sentido.