Sindpol/MG promove café para Policiais Civis Aposentados

31 de agosto de 2017

O Sindpol/MG promoveu na manhã desta quinta-feira (31/08), o café da manhã dos policiais civis aposentados. Foi um momento de descontração entre os policiais e que também serviu para realizarem novos contatos, rever antigos colegas e tirarem as dúvidas sobre o acórdão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que cassa a paridade e integralidade dos proventos (principal preocupação e inquietação dos nossos filiados).

O Inspetor Adjunto aposentado e Diretor Executivo Administrativo, José Maria de Paula “Cachimbinho”, frisou a importância da união da categoria, para lutarem por seus direitos e disse também que esse não será o único café que o Sindpol/MG irá promover para a categoria, que no final do próximo mês haverá um outro café para os aposentados, e que a partir de hoje será uma rotina no calendário do sindicato, dado a importância dos aposentados na pauta de valorização da categoria. O presidente do sindicato, Denilson Martins, também reforçou a necessidade da manutenção da mobilização dos policiais civis, para fazerem valer a paridade e integralidade dos proventos. Falou também que mais do que nunca, diante do advento da proibição de greves de operadores de segurança pública determinado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o policial civil aposentado, tem importância redobrada para as metas de mobilização e reivindicação do sindicato, uma vez que não estão subordinados hierarquicamente e não possui vínculo com o Estado, podendo por tanto exercer o seu direito livre de manifestação em defesa daquilo que acredita e requerem.

O superintendente da Superintendência de Inteligência e Informação Policial (SIIP), Dr. Joaquim Francisco Neto e Silva, esclareceu todas as dúvidas sobre o acórdão do TCE e disse que a chefia da Polícia Civil está acompanhando de perto a tramitação dessa importante matéria do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, na condição de estudioso e técnico da matéria, foi escalado pelo excelentíssimo Chefe da Polícia como responsável por estas tratativas junto a corte de contas e no trabalho conjunto com as entidades de classe, e acredita que, seremos bem sucedidos nessa matéria se continuarmos na estratégia de defesa, convencimento das autoridades envolvidas e no trabalho conjunto.