Sindpol/MG realiza evento em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

10 de março de 2016

O Sindpol/MG realizou, na tarde da última quarta-feira (09/03), o coffee break do Dia Internacional da Mulher, que homenageou a Chefe de Polícia Dra. Andrea Vacchiano e a presidente do Sind-UTE e da CUT/MG Beatriz Cerqueira. Participaram do evento policiais civis filiadas, dirigentes sindicais do funcionalismo público e personalidades da imprensa.

O presidente do Sindpol/MG Denilson Martins abriu o evento parabenizando a as homenageadas, as policiais civis presentes e demais dirigentes sindicais, que são exemplos de mulheres que ocupam cargos importantes e de grande relevância em nosso Estado, reportando o recente estudo da ONU. Denilson disse que a luta das mulheres é grande, pois a cada 10 desempregados no Brasil, 7 são mulheres; e que 179 mulheres registram, por dia, ocorrências de vitimização e, no mundo, 133 milhões de mulheres sofreram mutilação genital. Ele concluiu sua fala afirmando que o desafio é muito grande, e que é necessária a construção de Políticas Públicas nesse sentido e o amadurecimento da sociedade.

Após o seu discurso o presidente Denilson Martins passou a palavra para a diretora executiva de Assuntos da Mulher do Sindpol/MG, Margareth Dionísia, que agradeceu a participação dos presentes, e disse que está feliz com essa homenagem a Chefe de Polícia, porque sempre sonhou de algum dia uma mulher assumir a chefia da Polícia Civil. Em seguida Denilson distribui flores as mulheres presentes no evento.

A Chefe de Polícia Dra. Andrea Vacchiano agradeceu ao Sindpol/MG a homenagem e disse estar muito lisonjeada com o agraciamento, e completou sua fala afirmando que essa é uma data importante para refletirmos sobre os avanços de tudo que as mulheres já conquistaram. Citou também o fato histórico das 130 operárias grevistas que morreram queimadas dentro de uma fábrica nos EUA, no ano de 1857, devido a esse caso, que decidiram comemorar o Dia Internacional da Mulher no dia 8 de março, decisão tomada pelas Nações Unidas em 1975. Dra. Andrea disse que o Estado de Minas Gerais tem avançado muito na questão de oportunidades as mulheres, porém ainda precisa melhorar na política, hoje o Estado conta com uma Chefe de Polícia, uma secretária adjunto da Casa Civil e uma secretária da Educação, e no Legislativo temos poucas mulheres ocupando as cadeiras. Ela avalia, como Chefe de Polícia, que é um mês de reflexão para a Segurança pública, sobre a questão de todo e qualquer tipo de violência contra a mulher. “A Polícia Civil tem tratado isso de maneira especial, estamos reestruturando a delegacia de mulheres, e vamos trabalhar acerca do treinamento de mediação de conflitos com os novos policiais que estão no Curso de Formação na Acadepol, e 45% dos aspirantes são mulheres, um crescimento considerável de mulheres na Polícia Civil.”, finalizou Vacchiano.

A outra homenageada foi a presidente do Sind-UTE e da CUT/MG Beatriz Cerqueira, que também agradeceu pela homenagem, mas a sindicalista aproveitou a oportunidade para parabenizar a Polícia Civil pela investigação no caso da barragem da Samarco, em Mariana – que acabou com o distrito de Bento Rodrigues e atingiu demais cidades e o Rio Doce, chegando a praia de Linhares, no Espírito Santo. Beatriz disse que sentiu orgulho de ser mineira, porque a Polícia Civil não se sucumbiu e nem cedeu às pressões do poder político e econômico para investigar um caso como esse, sabendo da força que as mineradoras têm por todo o país, e, mesmo assim, desempenharam um belíssimo trabalho, que mostrou que o rompimento da barragem não foi um acidente, mas um crime. A sindicalista completou a sua fala dizendo que a luta pela educação se tornou uma luta de todos, e que o Sindpol/MG é um grande parceiro nisso. “Temos uma responsabilidade muito grande, em não deixar o nosso país ter a democracia corrompida, e não podemos deixar que a nova geração se esqueça do que foi a ditadura militar, a democracia foi uma grande conquista, devemos continuar lutando e defendendo para que ela continue sendo respeitada”, afirmou Cerqueira. Beatriz encerrou a sua fala dizendo que se sente lisonjeada com o agraciamento recebido, e falou para o presidente Denilson Martins que, as homenagens precisam ser feitas até o momento delas se tornarem desnecessárias.

A diretora Margareth Dionísio convidou a contadora de história Lucrécia Geórgia Leite para recitar um conto em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, Lucrécia encantou a todas com a sua belíssima história.

Após o momento de homenagens as mulheres foram convidadas a participarem do Coffee Break. Tivemos também sorteios de brindes com produtos femininos para as participantes.

O presidente Denilson Martins encerrou o evento agradecendo a presença de todos, e ao trabalho e empenho de sua diretoria no combate a violência contra a mulher e demais assuntos que envolvam a Polícia Civil, a Segurança Pública e a população.