SINDPOL/MG reivindica e governo prorroga validade do concurso de investigador

3 de fevereiro de 2017

Na tarde dessa sexta-feira, (03/02), a direção do Sindpol/MG recebeu no espaço multiuso de sua sede, dezenas de representantes do grupo de excedentes do concurso de investigador. O presidente Denilson Martins explicou aos mesmos o passo a passo das ações do sindicato sobre a convocação dos aprovados neste concurso. Falou da retomada do diálogo com a chefia e com o Governo do Estado, após a negativa institucional publicada na grande mídia em razão do protesto e acampamento na porta do Palácio das Mangabeiras. Ainda esclareceu que é importante esgotar a via da articulação e negociação sindical, uma vez que, o governo alega em sua defesa ter executado todo o certame previsto em edital e que a própria legislação vigente o impede de gastar além do limite prudencial Assim, nesse sentido, a prorrogação da validade do certamente é uma sinalização importante de retomada das negociações que resultaram na convocação de todos os excedentes ou parte dos mesmos, a médio ou longo prazo, tão logo o Estado recomponha sua capacidade financeira e orçamentaria. “É um gesto significativo a retomada das negociações, além do próprio ato de receber e sentar-se à mesa conforme solicitação do Sindpol/MG”, disse o presidente.

Com a palavra os representes do movimento, disseram que o acampamento fora implantado não só como um sinal de protesto, mas de resistência e sobrevivência, uma vez que o prazo estava se espirando e ninguém havia sinalizado de forma efetiva  em atendê-los, mas, que agora é considerável sim essa prorrogação, e que essas informações serão levadas ao conjunto dos acampados que poderão talvez suspender os atos, previamente programados desde que o governo continue aberto a negociação para esta convocação.

O diretor e secretário geral do Sindpol/MG, Cláudio de Souza Pereira, disse que a todo o momento a portas do sindicato estiveram abertas para atender as reivindicações dos candidatos e que o Sindpol/MG e a Polícia Civil sempre foram os maiores interessados nesta convocação. “Foi o sindicato que brigou muito, de todas as formas, para que este concurso realmente acontecesse e se concluísse, logo, não procede a informação de que ninguém sinalizou ou ajudou os excedentes, pois, a todo o momento a direção reivindica pela recomposição dos cargos da Polícia Civil, e em recente documento expedido ao governo, mais uma vez, pleiteou por esta matéria”, afirmou Cláudio.

O presidente do Sindpol/MG, Denilson Martins apresentou o documento lavrado na reunião da tarde de hoje aos presentes, e os deixou na liberalidade da condução futura, solicitando dos mesmos a nomeação de uma comissão para acompanhar os trabalhos do Sindpol/MG na defesa dessa matéria, caso os mesmo queiram.

ATA Reunião Sindpol – PCMG – SEPLAG – 03-02-2017